Call e Put
Finanças

Qual a diferença entre CALL e PUT? Descubra

Se você está entrando agora no mundo dos investimentos, provavelmente deve estar se perguntando o que significa CALL e PUT. Essa dúvida é bastante comum e surge até mesmo naqueles investidores mais experientes, que já contam com um tempo maior de participação no mercado financeiro. Ambos fazem parte do mercado de ações, com uma característica um pouco diferente das demais, tratando-se de uma negociação que não envolve comprar e vender ações, mas sim, ter o direito de fazê-lo em uma data posterior, com o preço que está sendo cobrado atualmente.

O tema CALL e PUT veio a tona agora, motivado, principalmente, pela inserção dessa ferramenta na Bolsa de Valores, tornando-se um tema bastante debatido pelos investidores mais experientes e causando uma certa curiosidade nos calouros que estão adentrando ao mercado de ações, haja vista que sua utilização promove impactos diretos nos ganhos dos clientes, portanto, se você é uma dessas pessoas que está em busca de conhecimento a respeito do CALL e do PUT, continue a leitura deste artigo e fique por dentro de todas as informações relacionadas ao tema.

Veja também:
O que é um refinanciamento? Quais são as vantagens de fazer?
O que é renda fixa e variável? Tire suas dúvidas
O que é IPCA? Para que serve?

Call e put: um direito no futuro

Embora seja mais comum realizar investimentos diretamente em ações, o mercado financeiro oferece várias outras modalidades distintas. O mercado de opções existe e tem seu funcionamento na antiga Bovespa, ou B3. Através desse mercado, o investidor tem a capacidade de negociar o futuro direito de comprar e vender ações no mercado. Para deixar claro, quando o investidor compra esse direito, significa dizer que ele ainda não é um investidor daquela empresa, somente será detentor de um direito de comprar aquelas ações posteriormente em um futuro próximo, com os mesmos preços que elas estão valendo atualmente.

Portanto, trata-se de uma aquisição de um direito futuro. O contrário também ocorre, onde o investidor pode comprar o direito de vender ações futuramente pelo preço que elas estão valendo no dia de hoje. Dessa forma, cria-se uma estratégia conhecida no mercado como hedge, onde essas compras e vendas são uma forma de proteção do investidor, haja vista que os preços ficam congelados, a depender da modalidade que ele escolher, seja para comprar ou para vender a ação. 

Ao fazer hedge, o investidor está buscando se proteger das variações que ocorrem diariamente no mercado financeiro, portanto, ele poderá comprar ou vender futuramente aquela ação pelo preço que ela vale atualmente, fazendo com que ele não venha a perder dinheiro com essa negociação e protegendo o seu patrimônio das oscilações mencionadas anteriormente.

O que é call?

No mercado de ações, existem as opções do direito de compra e direito de venda. No caso do CALL, estamos falando desse direito de compra. Seu surgimento remonta a expressão em inglês “call a stock away”, que em uma tradução direta significa “chamar para si”. Consiste em um direito subjetivo adquirido pelo investidor de comprar determinada ação, no futuro, pelo preço em que ela está sendo comercializada no momento da assinatura do contrato. Ao findar o prazo instituído entre as partes, o investidor poderá comprar a ação, de forma a exercer o direito de compra pelo valor que foi acordado anteriormente, independente do seu valor de mercado atual. Se esse comprador optar por exercer o direito de compra, o vendedor resta obrigado a abrir mão da ação.

Compra de call

Comprar uma call diz respeito ao direito de compra futura dessa ação pelo valor acordado entre as partes. Esse método é bastante utilizado quando se tem uma previsão de crescimento das ações de uma empresa, onde o investidor acredita que aquelas ações irão se valorizar com o tempo, fazendo esse acordo para comprá-las pelo preço que estão valendo no momento. 

Dessa forma, caso a previsão venha a se concretizar e os preços das ações subam mais do que elas valiam anteriormente, o investidor pode realizar o exercício do direito de compra, onde ele irá comprar por um preço baixo e vender pelo preço alto, gerando um bom lucro para o investidor.

Do contrário, pode ocorrer uma desvalorização dos preços das ações, fazendo com que o investidor desista de realizar a compra, haja vista que os preços estarão menores que aquele que foi pago, causando um desbalanço em seu prejuízo. Se ele não ativar o direito de compra antes do vencimento do prazo, ele se extinguirá, fazendo com que o gasto despendido em sua compra tenha sido em vão.

Venda de call 

A venda de call é a opção contrária, onde o comprador ativa o direito de compra e você é obrigado a vender. Essa venda é utilizada, geralmente, quando ocorre uma baixa no preço das ações, fazendo com que seja necessário vendê-la para evitar prejuízos maiores ao investidor que possui o ativo em sua carteira.

O que é put?

O put é um direito de venda da ação pelo preço que foi determinado. Diferente do Call, o investidor não fica a mercê de prazos de vencimento, haja vista que, caso venha a transcorrer esse prazo, ele não é obrigado a vender o seu ativo. Ele apenas poderá fazê-lo caso o preço desse ativo for menor na data do vencimento, proporcionando um lucro a ele. Dessa forma, quando o investidor realiza a compra de um put, ele na verdade está congelando o preço daquela ação para vendê-la em uma data futura.

Venda de put

Aquele que opta pela venda de uma put, faz a renúncia do direito de venda da ação. Isso ocorre pois o foco dessa negociação está no valor total do prêmio, ou seja, no valor pago pela compra das ações. Dessa forma, assim como ocorre no call, as vendas de put tem como principal objetivo obter lucro, caso o cenário do mercado financeiro aponte para uma desvalorização desse ativo. Portanto, o cenário ideal para venda do put é quando o mercado apresentar houver uma desvalorização dele.

Como diferenciar uma call de uma put

Assim como já mencionamos anteriormente, as operações são bastante semelhantes entre si, onde o principal elo que une às duas é o fato do congelamento dos seus preços para poderem ser negociadas futuramente. No caso de uma call, o preço é congelado para que o investidor possa comprar esse ativo pelo mesmo preço que é praticado no dia em que foi feito o acordo entre as partes. Já com relação a put, o preço é congelado para que o investidor possa vender o ativo pelo mesmo preço que é praticado no dia em que foi feito o acordo entre as partes.

Em termos simples, significa dizer que, uma congela os preços para comprar e a outra congela os preços para vender, com um objetivo principal, que é a proteção dos preços em relação ao investidor, gerando lucro futuramente com suas negociações.

Conclusão

As compras (Call) e venda (put) são excelentes estratégias usadas pelos investidores para proteger os preços dos ativos financeiros e posteriormente se aproveitar dessa proteção para obter lucro, seja na compra, seja na venda. Para tanto, é necessário fazer um estudo detalhado do mercado financeiro, prevendo com segurança quais ações irão valorizar ao longo do tempo e quais irão desvalorizar. Esse fator é decisivo para obter sucesso nas negociações desses ativos, portanto, deve-se atentar para esses detalhes e realizar um estudo pormenorizado dos aspectos financeiros dos mercados de cada ação.