O que é um fluxo de caixa? Como aplicá-lo no seu negócio?

O que é o fluxo de caixa

 

Uma empresa precisa manter um bom fluxo de caixa para conseguir se manter de forma competitiva no mercado e continuar crescendo. Ter um fluxo de caixa é muito importante para manter a saúde financeira da empresa e mantê-la atuante no mercado, para isso deve-se considerar alguns pontos relevantes e que não podem ser esquecidos, pois, é através deles que será possível saber como está o fluxo de caixa.

Alguns aspectos importantes em relação ao fluxo de caixa, são: não esquecer de fazer o registro de todas as movimentações, como contas que foram pagas, quantias a receber  e a pagar, além disso, outra coisa que é necessária é compreender os relatórios e os dados para saber como lidar com essas informações. Para isso, usar a tecnologia e estipular indicadores que permitam fazer o acompanhamento das atividades financeiras também são aspectos de grande importância.

Veja também:
O que é um aporte de capital e como contabilizar?
Melhores fundos de investimento para 2021: Confira
Dicas Práticas para Organizar o Orçamento Familiar

O que é um fluxo de caixa?

O fluxo de caixa também pode ser chamado de controle de caixa e nada mais é do que fazer o registro das movimentações financeiras da empresa, tanto do dinheiro que entra na empresa como do que sai. No fluxo de caixa, devem conter todas as informações sobre as quantias que entraram e que saíram da empresa dentro do prazo estabelecido previamente, dessa forma, o fluxo de caixa pode ser feito por dia, por semana, por quinzena ou da forma que o gerente achar mais adequado.

 

O que é o fluxo de caixa é para que serve?

O fluxo de caixa tem várias finalidades e é muito importante para controlar as despesas da empresa. Ele serve para: identificar possíveis gastos sem necessidade, identificar se há necessidade de fazer investimentos, fazer um acompanhamento dos prazos permitindo que haja um planejamento adequado, analisar  a sazonalidade, de forma a identificar quais são os  períodos de alta e baixa saída e estabelecer quais são os prazos mais apropriados para fazer o pagamento das contas.

 Como se faz o fluxo de caixa?

Fazer um fluxo de caixa pode ser um pouco complicado no início, mas depois de um tempo essa atividade se torna simples. Para fazer o fluxo de caixa primeiro deve-se começar pelo saldo que a empresa tem, fazer a separação de todas as receitas e também das despesas e organizá-las em categorias, faça o registro diário de todas as saídas e entradas do caixa e sempre mantenha esses registros atualizados.

 

Confira 6 dicas para ter um bom fluxo de caixa

O fluxo de caixa é importante para organizar a parte financeira de uma empresa ou negócio, mas para ele ter serventia deve ser feito de forma correta. Para facilitar essa tarefa, fazer uso de tecnologias pode ser uma boa alternativa, pois além de tornar mais rápida a execução dessa tarefa, também facilita no entendimento dos dados e na interpretação deste. Confira abaixo 6 dicas importantes para fazer o fluxo de caixa.

1. Faça o registro de todas as movimentações que acontecem nas finanças

Não há como fazer o fluxo de caixa sem registrar as movimentações que acontecem no setor, é necessário registrar todas as entradas de dinheiro e também todas as saídas, não importa se a quantia foi muito pequena. Fazendo isso é possível identificar quais são as despesas principais, evitar os gastos sem necessidades e dessa forma, fazer mudanças que promovam a economia e melhore a situação financeira do negócio.

 

2. Organize as entradas e saídas em categorias

Anotar todas as movimentações são importantes, mas é preciso fazer uma categorização dessas movimentações, com isso será possível diferenciar entre o que é despesa e o que é receita, como também saber com o que a empresa fatura mais e conhecer a origem das despesas. Na hora dividir em categorias é recomendado que seja específico e agrupe as categorias de modo a permitir um melhor entendimento dos dados.

3. Direcione o seu pensamento a longo prazo

Com um bom fluxo de caixa você consegue se organizar melhor e estabelecer um planejamento para o futuro. Com os dados do fluxo de caixa você pode elaborar projeções para um certo período, o que irá permitir que haja um melhor planejamento para enfrentar situações divergentes e possíveis obstáculos. É recomendado que as receitas sejam estipuladas de forma mensal.

4. Faça o controle diário

Como já foi dito, o fluxo de caixa é uma ótima ferramenta para auxiliar na gestão do negócio. Porém, ele só será útil se for utilizada com frequência. Diante disso, vale dizer que nunca se deve encerrar um expediente sem fazer o fechamento do caixa e conferir qual a situação prevista para os dias que seguirão. Lembre-se sempre que os erros cometidos na hora de fazer o fluxo de caixa irão comprometer as decisões que deveriam ser tomadas e pode até prejudicar as finanças do negócio.

5. Não ignore a importância das métricas

Para ter certeza de que a empresa está indo bem nos negócios é necessário acompanhar as métricas que foram estabelecidas e analisar os resultados. Os principais indicadores quando se trata de fluxo de caixa são: lucro, saldo e o faturamento. O lucro sempre deve ser acompanhado com mais frequência, o faturamento nada mais é do que toda a quantia que a empresa recebeu e o saldo é o valor do faturamento menos as despesas

6. Use a tecnologia como sua aliada

Fazer o fluxo não requer muitos materiais, ele pode ser feito com uma planilha simples ou um caderno de anotações, mas isso não é o mais recomendado. O que se recomenda é que a tecnologia seja ajudada para auxiliar no gerenciamento da empresa e nada melhor do que fazer o fluxo de caixa através de um sistema. O uso do sistema reduz as chances de erro e facilita na interpretação dos dados e na tomada de decisões.

 

Qual a importância de ter um fluxo de caixa projetado

Trabalhar com um fluxo de caixa bem feito e atualizado diariamente permite que algumas previsões sejam feitas, tais como: previsões de recebimentos dos próximos dias, de vendas, quais são os pagamentos fixos e quais são variáveis, permite saber quanto tem em caixa, conhecer o capital de giro da empresa, conhecer e avaliar as necessidades e os custos que a empresa terá e muito mais.

É importante salientar que o fluxo de caixa e as projeções são diferentes. O fluxo de caixa é feito mediante as informações sobre os custos que a empresa tem, enquanto as projeções são parecidas, mas também considera as estimativas de saídas e entradas e que poderão causar impacto no caixa da empresa. 

Como fazer um fluxo de caixa projetado?

Para fazer um fluxo de caixa projetado é preciso ter algumas informações. Veja abaixo como fazer:

1. Conheça as suas contas e receitas

É preciso ter conhecimento sobre as despesas fixas e variáveis, quantias recebidas, pagamentos,  saldo disponível no caixa, saldo nas contas bancárias, tempo estimado entre os ganhos e as despesas, contas que deverão ser pagas em menos tempo e algumas outras.

 

2. Faça a divisão da sua projeção

O mais comum é fazer a divisão em 3 três categorias: atividades de financiamento, de investimento e atividades operacionais.

 

3. Organize os períodos de recebimento e  de pagamento

Não fazer esse alinhamento pode comprometer a saúde financeira do seu negócio. Por isso, é fundamental que o recebimento de dinheiro seja antes do prazo para fazer pagamentos.

4. Faça o alinhamento da sua projeção com outros dados

É ideal que a sua projeção esteja alinhada com orçamento empresarial e com o demonstrativo de resultados projetado, quando esses dados estão alinhados é possível ter noção se o negócio irá gerar resultados positivos e se você terá dinheiro em caixa.

5. Faça o monitoramento da sua projeção e do seu fluxo de caixa frequentemente

É necessário estar sempre de olho nas projeções e identificar se há fatores que estão ou poderão influenciar nas vendas e nas despesas, de modo que isso permite que os gestores se atentem para o que está acontecendo e possam se antecipar na tomada de decisões importantes para a saúde financeira da empresa.