Educação financeira infantil: como ensinar as crianças a guardar dinheiro?

Educação Financeira Infantil

Para muitas pessoas, falar sobre dinheiro não é muito difícil. Você conhece um dos principais motivos? É a falta de educação financeira infantil. À medida que as pessoas desistem desse tipo de aprendizado, elas lidarão com isso tanto quanto puderem na idade adulta. Basicamente, eles se preocupam apenas com os comprovantes de pagamento e quanto devem gastar a cada mês.

 

Agora, quando os pais priorizam a educação financeira infantil de seus filhos, eles deram uma grande contribuição para o crescimento deles. No futuro, eles serão capazes de organizar o controle de despesas e evitar problemas de endividamento. Sem falar que as crianças se tornam mais independentes – esse tipo de autonomia é muito bom para ter qualidade de vida. E quanto à ideia de investir? Basta dar uma olhada no conteúdo sobre educação financeira infantil que preparamos para você!

Veja também:
O que é o aplicativo GuiaBolso? É seguro usar?
Dicas de planejamento financeiro para freelancers

O que é educação financeira educação infantil?

A educação financeira infantil é usada para capacitar as crianças a fazer pleno uso do dinheiro. Isso requer muito treinamento. Nesse sentido, as mesadas podem ser usadas como uma ajuda importante. Daí a importância de estipular mesadas ou semanadas para que as crianças possam controlar seus orçamentos e aprender a escolher e pagar as despesas a partir deles.

 

A criança pode ter que quebrar a cabeça várias vezes, o que é normal quando ela está aprendendo. Este momento deve ser usado para fazê-la pensar sobre por que ela chegou a tal situação. A parte importante desse exercício de usar dinheiro é que é precisamente porque as crianças não aprenderam a lidar com as limitações e consequências das escolhas que as fazem cometer os mesmos erros que cometeram na infância e as impedem de se tornarem adultas.

Qual objetivo da educação financeira para crianças?

O principal objetivo da educação financeira infantil é aumentar o conhecimento para que as crianças possam aprender a fazer escolhas conscientes sobre o dinheiro e consigam administrar seus próprios recursos. Crianças bem-educadas financeiramente é a base para um adulto bem-sucedido no futuro, em praticamente qualquer aspecto financeiro, que sabe administrar seu dinheiro e lidar com dificuldades financeiras.

Como falar de educação financeira infantil?

Veja a seguir algumas formas de falar sobre a educação financeira infantil com as crianças:

Dê mesada ou dinheiro para comprar coisas

Como estimular o desejo das crianças por dinheiro? Deixe-os lidar com isso de forma independente. Afinal, basta dizer que você não pode comprar o que eles desejam, por exemplo, pode não chamar a atenção deles. O objetivo é aprender na prática. Quando as crianças têm despesas semanais ou mensais, a tendência é que elas comecem a entender a importância de:

  • Economizar
  • Pensar bem antes de gastos desnecessários;
  • Fazer com que o dinheiro renda até o final da semana ou do mês.

Dê uma pequena conta para a criança pagar

Você tem alguma conta para pagar? Leve as crianças até o caixa eletrônico mais próximo e ensine como o processo funciona. Supondo que você precisa ter fundos suficientes em sua conta e não pode perder a data de vencimento, isso porque os juros são altos. Você pode fazer com as crianças uma planilha ou criar um gráfico bem nítido que contém a data de pagamento de cada conta da casa. Esta é uma forma de incluir as crianças pequenas nas responsabilidades familiares para que toda a família possa se beneficiar dessa prática.

Trabalhando juntos em um cofrinho

Os cartões de crédito podem evitar que muitas pessoas se preocupem, mas podem ser um grande vilão financeiro. Em primeiro lugar, é melhor explicar às crianças que este é um recurso que deve ser utilizado apenas em situações de emergência. Antes de pagar as despesas no próximo mês em prestações, deixe claro que economizar dinheiro é importante. Por isso é muito bom montar um cofrinho familiar!

Preste atenção aos erros da educação financeira infantil

Você não precisa ser um especialista em finanças para colocar em prática a educação financeira infantil. Mas tome cuidado para não cair nos seguintes erros:

  • Por exemplo, para uma criança entender as obrigações e responsabilidades que deve cumprir, ela pode receber recompensas por estudo e boas notas;
  • Completar o restante do dinheiro para comprar coisas mais caras, pois é necessário que ela entenda que esse recurso é limitado;
  • Lhe dê exemplos negativos, como: se você exceder o limite do cartão, não faça uma reserva de emergência, gaste sem planejamento, etc.

Organize um glossário do mundo financeiro

Alguns termos são difíceis e eles são muitos, certo? Na mente das crianças, elas parecem terríveis – dívidas, juros, crédito, saque, entre outros. Mas você pode reverter isso trazendo todos eles para seu pequeno mundo. Mantenha o glossário curto, interessante e persuasivo. Este é um bom começo. Sempre que quiserem consultar uma palavra, as crianças terão os materiais sobre gestão financeira pessoal que vocês reuniram para o caso de precisarem.

Promova jogos educativos e divertidos

Você já ouviu falar em gamificação? A palavra parece difícil, mas é simples. A ideia é considerar os elementos do jogo e utilizá-los em outras situações. Funções, participantes, equipes, pontuações, tabelas de classificação, etc. Uma ótima técnica é usar esses recursos que as crianças adoram para os ensinar. Na verdade, as escolas vêm aproveitando plenamente essa ideia. Mas a cena aqui é uma casa e o personagem é sua família. Por exemplo, a tarefa é planejar uma viagem de férias. Vale a pena pesquisar por outras brincadeiras e jogos deste tipo.

Como trabalhar Educação Financeira na educação infantil?

A educação financeira infantil deve ser trabalhada com muito cuidado, pois estamos falando de crianças, e ensinar isso de maneira errada ou excessiva, pode assustar as crianças ao invés de despertar seu interesse em aprender sobre tal assunto. Respeitar os limites de cada estágio do aprendizado é muito importante. A cima disponibilizamos algumas dicas impostantes para te ajudar nesta tarefa, porém não são tão eficientes quando trabalhadas de manira errada.

 

Sendo assim é muito importante que você tenha em mente exatamente onde quer chegar com a educação financeira infantil de seus filhos. Pois, você é o professor, e o planejamento  quando realizado adequadamente facilita tanto as ações como a obtenção de resultados mais satisfatórios. Trabalhe este assunto com cuidado, seguindo as dicas acima e pesquisando mais sobre o assunto para formar seus filhos como bem-sucedidos financeiramente no futuro.

Como ensinar as crianças a guardar dinheiro?

Existem algumas formas de ensinar as crianças a poupar estabelecendo uma boa educação financeira infantil, dentre elas se destacam as seguintes:

Dê o exemplo e ensine as crianças a economizar

Você deve dar o exemplo antes de começar a falar sobre como poupar. Os adultos são como um espelho para as crianças que não entendem o mundo ainda. Portanto, se você deseja ensinar seus filhos, sobrinhos, alunos ou as crianças ao seu redor a importância de economizar, comece a poupar você mesmo. O importante é que toda a família entenda a situação financeira e não gaste um centavo sem necessidade.

Conceda mesada ou outras formas de controle de dinheiro

É importante que a criança tenha pelo menos um pouco de dinheiro para decidir o que fazer esta quantia. Pode ser uma mesada, dinheiro para uma semana ou um cartão. Seja qual for o meio escolhido, é importante que ele possibilite que a criança pense bem o que fazer com ele, e que esta quantia possa dar suporta a compras mesmo que pequenas e poder sobra algo para guardar.

Mostre que poupar pode ser uma boa ideia

Se há dinheiro, por que uma criança iria querer mantê-lo guardado e torná-lo inútil? Essa é a hora em que você entra e mostra que, se ela conseguir ficar com uma parte do dinheiro por um tempo, poderá usá-lo para comprar coisas maiores. Coloque no papel e dê exemplos específicos. Suponha que sua mesada seja de R$ 200, o que é R$ 50 por semana. Se você puder economizar R$ 40, o que significa economizar 20% ao mês, receberá R$ 240 em 6 meses, que podem ser usados ​​para comprar o que ela realmente deseja.